O que Devo Saber Antes de Escolher a Melhor Gráfica para as Minhas Impressões?

Uma das coisas que a maioria das empresas deveria prestar mais atenção, mas acaba relegando em um segundo plano é a escolha da gráfica. Faz toda a diferença essa escolha por diversos motivos que vamos explicar a partir de agora. Nesse artigo você irá aprender detalhes da produção gráfica que vão te ajudar a escolher a melhor gráfica para o seu material.

Aproveite a leitura e se tiver dúvidas, deixe aqui nos comentários que teremos prazer em te ajudar nessa empreitada. E vamos começar com uma das perguntas mais feitas para agências do mundo do todo:

Como escolher uma boa gráfica?

gráfica

Lembra quando antigamente havia o médico de confiança da família? Então, com a gráfica é quase a mesma coisa. Ter uma boa gráfica de confiança faz toda a diferença. A gráfica que você escolher como usa de confiança precisa, claro, prestar serviços de excelência e ter um ótimo atendimento. Ser ágil e estar lá para quando você precisar.

Mas vamos imaginar que você esteja querendo mudar de gráfica ou ainda conhecer novos parceiros, vamos ao check list básico.

Equipamentos

Uma coisa que poucas pessoas dão atenção é a qualidade dos equipamentos da gráfica. Quanto mais moderno, mais ágil e barata será a impressão. Ter um parque gráfica de qualidade te dá liberdade de criação, cortes diferentes, papel diferente, materiais diferentes, enfim…

Aqui vale um adendo, não estamos falando das chamadas gráficas artesanais, esse texto é sobre outra coisa.

Cor Certa na Impressão

Também há um fato que sempre acaba pegando as empresas: quando os equipamentos são muito velhos, é quase impossível atingir a “cor certa” da sua marca. Toda gráfica sobrevive de vários clientes rodando material, então, ela não vai parar para acertar o tom certo do azul, por exemplo, não. Ela irá fazer o mais próximo possível, que dê para calibrar sem perder muito tempo para não atrasar os demais que precisam rodar naquele dia.

Continuando com equipamentos… os mais modernos garantem outro item da nossa lista:

Diversidade de Serviços

Pode parecer que você não vá usar, mas sim, você vai. Isso faz diferença. Escolha uma gráfica que possa te atender quando você quer fazer um adesivo, um caderno, o calendário no final do ano, o cartão de visita, enfim, a lista é gigante e essa parceria precisa atender suas demandas de comunicação em impressão.

Aí você encontra uma gráfica que imprime tudo que você precisa mas os materiais… então, presta atenção na:

Qualidade dos insumos

As gráficas buscam diferentes fornecedores para a compra dos materiais, o tipo de papel é muito importante. Também é importante verificar a procedência desse papel, ainda mais se a sua empresa se preocupa com questões ambientais. Ela é de reflorestamento? Ele é reciclado? Tudo isso pode estar associado a sua marca, então, cuidado.

Para finalizar na hora da escolha da gráfica:

Atendimento

Sim, de nada adianta a gráfica atender a todos os quesitos técnicos e não ter um atendimento a altura, ou rude, ou que demora demais para resolver suas questões e dúvidas, quem dirá passar orçamento.

Um atendimento precisa conhecer todas as nuances do seu cliente, o que ele prefere, como prefere e até mesmo identificar a qualidade da impressão, das cores, etc.

Então, a dica é: antes de fechar contratos maiores, teste esse novo fornecedor com pequenos serviços. Veja se o SLA (tempo de atendimento) dele é compatível com o que o você esperar e só a partir daí feche contrato.

Devo procurar uma gráfica digital ou offset?

Gráfica Offset

Desde que Gutemberg inventou a prensa em 1468, muita coisa mudou, mas, acredite ou não, até os 90 o processo era mais ou menos o mesmo, ainda hoje há gráficas do interior que utilizam o processo.

Basicamente é construído um imenso carimbo que era “prensado” contra o papel fazendo assim acontecer a impressão. Esse processo foi sofrendo pequenas melhorias, como o chamado “fotolito” que era uma espécie de filme gigante que é revelado contra o papel.
Hoje, o tatatatatataraneto da prensa de Gutemberg é o chamado Offset, opção de mais de 80% das gráficas em atividade no Brasil.

Esse sistema de impressão tem várias fases, é complexo, envolve água e até mesmo, gordura.

Primeiro faz-se uma chapa metálica que a gráfica chama de matriz. Ela é gravada a partir de um arquivo digital, o processo que chama CTP veio para aposentar o velho fotolito que falamos acima.

A partir daí o processo tem muitas semelhanças, a chapa é gravada na superfície, a tinta é misturada com água de modo que a tinta só se fixe nas áreas que serão efetivamente impressas. Depois, a chapa é presa em uma espécie de cilindro que roda sobre o papel faz a impressão propriamente dita.

Algo que você já deve ter ouvido falar e não sabia do que se tratava é o CMYK. É assim, cada cor vai ganhar um cilindro. O CMYK é uma abreviação de cores Cyan, Magenta, Yellow e Black.

Cada cilindro passa pelo papel individualmente para formar as cores necessárias.

Daí vem as expressões comuns em gráfica como 4×4 ou 4×0, etc…
Quer dizer que teremos 4 cores, sendo necessário 4 cilindros.
As máquinas mais comuns para a impressão (como de jornais, por exemplo) são as rotativas. O papel dá uma “volta” pelo parque gráfica até que a impressão sai pronta em outra ponta. Há também as gráficas planas, bem mais próximas das de Gutemberg.

Vantagens do offset:

  • Pode imprimir milhares de folhas ou unidades por hora
  • Seu custo pode ser extremamente menor em grandes quantidades

Impressão Digital

A impressão digital é quase como se você mandasse imprimir em uma impressora gigante, não há muitos passos, funciona quase como uma impressão direta no papel. Com esse tipo de impressão se diminui, e muito o custo de mão de obra e calibragem de máquina com cor, etc.

As impressões que antes eram objeto de reclamação por conta da durabilidade e qualidade vem melhorando sensivelmente nos últimos anos e agora até proporcionam processos como encadernações.

Algo muito bacana na impressão digital é a inclusão de “dados variáveis”, como por exemplo, impressão de ingressos.

Então, em resumo, a impressão funciona muito próxima a sua, aí da sua casa, muda a qualidade (e a quantidade de tinta) utilizada.

Vantagens da Impressão Digital:

  • É muito rápido para serviços menores
  • Não tem preparação para nada. Arquivo no computador e pronto.
  • Ideal para pequenas tiragens.

Prazos de Entrega

Esse é um tema bastante variável e varia de negociação para negociação. Há, por exemplo, o prazo de compensação de pagamento, algo que não existe quando você tem uma gráfica fixa. Há o prazo de aprovação da Prova (falamos nisso mais abaixo) que depende mais de você do que da própria gráfica.

Mas, falando em tese, a maioria dos materiais normais é impresso de um dia para outro. Esse prazo aumenta em média:

  • 2 dias se você quiser aprovar a prova
  • 2 dias se você precisar esperar o pagamento aprovar
  • de 1 a 10 dias se você depender de uma transportadora
  • até 3 dias se for corte especial

Aí, quem vai te ajudar é o:

Comercial

Essa unidade de uma gráfica é que vai fazer o meio de campo para agilizar esses processos. O comercial de uma gráfica precisa ser ágil nos orçamentos, nas devolutivas e, em fazer chegar até você a prova do material que será impresso. Um comercial precisa ter uma SLA (prazo) bem definido, sob pena do cliente perder excelentes oportunidades comerciais.

Prova

A “prova” nada mais é do que um exemplo de como o seu material ficará após ser impresso. Ela é feita em impressão digital o que pode ocasionar uma pequena alteração de cor, mas nada significativo.

Para materiais mais caros ou que levarão o nome da sua empresa para os seus clientes é sempre importante pedir a prova. Calendários, agendas, cartazes, livros, etc. A prova é que vai garantir que você terá exatamente o material que queria ter impresso.

Preço e condições de pagamento

Como falamos acima, o preço e o pagamento dos materiais varia bastante de cliente para cliente e de negociação para negociação. Em regra, quanto mais materiais o cliente fizer, mais barato e mais vantagens de negociação terá.

Normalmente, em gráficas online a negociação é pré-paga, ou seja, você primeiro paga e depois de compensado o pagamento é que a gráfica começa o processo de impressão.

Em gráficas com contrato fixo ou ainda que “aprovem” o seu CNPJ o usual são pagamentos pós-pagos, ou seja, você só paga depois de receber o material. Os prazos de pagamento variam muito, mas em regra são de 30 dias no boleto.

Que tipo de materiais se faz em uma gráfica?

Há uma infinidade de itens que uma gráfica pode fazer, mas, os mais comuns são:

Há algumas gráficas especialistas em determinados materiais como impressão de jornais ou caixas de pizza, por exemplo. A dica é procurar aquela que melhor se adeque ao seu custo, prazo de impressão e claro, qualidade.

Se a impressão saiu com erro, de quem é a culpa?

Talvez a resposta mais fácil de todo esse artigo: De quem aprovou.

Quando uma gráfica recebe um arquivo fechado (PDF 1xa) que não pode ser editado, garante a gráfica que os únicos erros que possam ser aferidos a ela é o de papel e cor.

Por isso, a maioria das gráficas faz questão, em impressões grandes ou “diferentes’ de aprovar a prova com o cliente.

Em agências de comunicação é muito comum um envio de “Aceito” para que o cliente confira as informações básicas como telefones, nomes, endereços, etc.

Agora, se não aprovou e mandou direto, a culpa é da agência, que indiretamente aprovou a peça.

Há algumas exceções chamadas de óbvias, por exemplo, você pede para a agência ou para a própria gráfica imprimir um calendário, ele vem com a imagem que você queria, com as cores certinhas mas com as datas erradas, a culpa é de quem errou e não do cliente. Afinal, é sua obrigação conferir esse “detalhe”.

Quem é responsável pela arte final?

Se você tem uma agência de comunicação, esta é a responsável pela finalização do arquivo com as medidas, sangra e tudo que a gráfica indicar como necessário. Se você contratou esses serviços diretamente da gráfica, eles é que fecharam o arquivo, mas, provavelmente, você não terá uma prova e por isso muitos problemas podem acontecer.

Uma questão muito comum é as gráficas pedirem os arquivos abertos para a impressão. Se o cliente aceitar, as agências e as gráficas e também o cliente devem se precaver deixando claro e documentado que a arte final é a X e que, ainda que o arquivo esteja aberto, nada deve ser alterado.

Devo deixar a gráfica fazer meu layout?

Há muitas gráficas que ainda usam esse expediente e tem pessoas para ajudar a montar layouts. O indicado é que você tenha um profissional de sua confiança, ou uma agência, para te indicar qual é o melhor caminho a seguir. Pense que um funcionário da gráfica vai fazer o layout de acordo com aquilo que é melhor para a gráfica e não para você. Então, ainda que o serviço seja oferecido, só é recomendado para trabalhos muito pequenos e que sejam simples como cartões de visita e papel timbrado, por exemplo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *