Flyer: Pra que serve este panfleto?

O flyer, ou panfleto, servem para divulgar qualquer negócio através de um material impresso em que as pessoas recebam a mensagem nas ruas ou peguem em algum ponto de distribuição estratégico, como bancas de revistas e balcões de lojas.  O flyer é ideal para impactar pessoas nas ruas quando se quer divulgar, de maneira mais simples e direta, ofertas para quem está passando neste exato momento diante qualquer estabelecimento. Também serve para divulgar uma loja que está inaugurando. O flyer é prático para carregar, fazendo com que um percentual das pessoas que pegam o material guardem  bolsa ou na carteira.

flyer

Um flyer significa rapidez de impacto imediato de público, baixo valor de investimento e capacidade de divulgar imediatamente ofertas para quem está passando neste exato momento diante seu estabelecimento.

Para que serve o flyer

O nome tem origem do inglês e significa ‘algo que voa’. É um impresso promocional menor que o folder criado e pensado para distribuição em massa, para ficar “voando”  de mão em mão, até chegar no seu público final. Normalmente contém imagens relevantes e impactantes  além de mensagens de rápida leitura. Normalmente são produzidos em formatos pequenos, como o A5 e o A6 e em gramatura superior, o que os diferenciam dos tradicionais panfletos e folhetos, além das diversas opções de papel, impressão e acabamento.


Lembre -se de que um flyer bem feito precisaria ter, além do que que deseja ser divulgado (lançamento, promoção, etc)  algumas informações relevantes:

Marca
– Assinatura de Marca
– Endereço completo
– Telefones de contato
– Endereço do site
– E-mail de contato
– Whatsapp de contato
– Mapa esquemático de localização

Qual é o tamanho ideal do flyer ?

Não há um tamanho padrão para impressão, mas os flyers que estão no mercado seguem alguns padrões de tamanho pensados para  um melhor aproveitamento de papel.

Os tamanhos mais comuns são:

10x15cm , 8x16cm e 10x16cm
Muito comuns para estabelecimentos de pequenos porte como restaurantes, buffets, salões de beleza, santinhos eleitorais, borracharias, serviços de dentistas, padarias e pet shops. Normalmente tem apenas um lado impresso com duas cores (2×0) e são feitos em um papel couché brilhante ou sulfite fino (no máximo 90g/m2).

15x21cm, 9x19cm, 13x19cm, 17×20
Flyers de clínicas de beleza e estética, empresas de instalação de pisos, redes de proteção, persianas e lojas de artigos de decoração adoram este formato, pois permitem colocar mais informações. Já tem os dois lados impressos com quatro cores (4×4) e são feitos em papel couché brilhante ou fosco (de 90g a 150g/m2).

21x31cm, 13x30cm, 18x22cm, 19x23cm, 19×21
Estamos falando de flyers usados por empresas do segmento industrial para eventos, criados para apresentar algum lançamento ou produto específico e encartar as famosas pastas com propostas de negócios.  Tem foco promocional em uma panfletagem em grande escala e também têm impressão em cores em ambos os lados (4×4) e precisam ser em papel de maior gramatura para ficarem mais firmes. Normalmente em papel couche fosco de 150g a 200gm/2.

Lembre-se de usar menos texto e impactar com as palavras, então foque nos conceitos que agregam valor à sua mensagem. Textos longos não serão lidos – e se o forem, a retenção da informação não será eficaz pelo volume de dados.

Crie uma linha lógica no folder de acordo com o tamanho de cada elemento e seus espaços ocupados. Um título ou frase de efeito convida a pessoa para conferir as informações mais descritivas ou levar até o seu estabelecimento.

Inclua um QR CODE para ampliar o seu flyer- todo mundo tem Smartphones, portanto podem acessar o seu site somente com a câmera do celular.

Detalhe final: Escolha muito bem o que vai ser incluído na parte traseira do flyer. Normalmente é ali que estão os dados de contato, mapas de acesso para o seu endereço, suas redes sociais e por aí vai.

Quem precisa ter um folder?

Todas as empresas podem utilizar. O flyer é, normalmente, suando para promoções relâmpagos, como forma de “lembretes” para restaurantes na hora do almoço, para divulgar em uma região que um novo negócio está aberto e por aí vai.

Para criar o seu flyer, primeiro é preciso definir qual é a mensagem que você deseja transmitir.  Os restaurantes, que são os tradicionalmente os maiores usuários de folders nas regiões centrais das cidades, tiveram que criar folders para avisar que, pela pandemia, tiveram que baixar suas portas e estão atuando com delivery. O flyer passou uma forma prática de avisar os moradores da região e demais transeuntes desta nova modalidade e manter seus negócios em atividade.

Coloque-se no lugar do cliente que vai receber o seu flyer. Será que as informações que você deseja transmitir estão coerentes? Lembre-se de que o folder tem pouco espaço para divulgar informações, por isso flyers com muitos textos ou sobrecarregados de imagens não funcionam e são descartados na primeira lixeira. .

Foque apenas nas informações que são relevantes ao seu público e escolha um modelo que seja agradável. O impacto visual vai atrair a atenção do seus clientes, por isso o  modelo gráfico deve ser personalizado de acordo com a identidade visual da sua marca.

Como entregar o flyer?

Os flyers podem ser utilizados para divulgar ações específicas, portanto contrate uma equipe de distribuidores para a tarefa e determine qual o tempo da ação. Faça com que quem está entregando os flyers saiba exatamente o que está nele e estejam aptos para responder qualquer dúvida (promoções, etc) pois é normal que algumas pessoas perguntem o que está nele.

Uma boa ideia para saber se o flyer está surtindo efeito é oferecer descontos ou brindes para quem chegar até o seu estabelecimento. Uma das ideias mais populares é o famoso “apresente este flyer e ganhe 10% de desconto” – , mas lembre-se de especificar que a promoção não é cumulativa e de que tem prazo de validade. Desta maneira, você consegue saber exatamente quantos flyers distribuídos surtiram efeito e melhorar suas próximas campanhas.

Estabeleça quais ruas serão distribuídos já pensando na proximidade do seu negócio com estas localidades. Caso não queira se incomodar, existem empresas especializadas para este trabalho de distribuição. Vale estudar cada uma delas e ver qual te atende melhor suas expectativas.

Quais são os papéis mais usados em um folder?

O flyer geralmente usa quatro papéis e vamos listar quais são eles:

Supremo
Este material é resistente, com gramaturas elevadas, muito usado para folders em que há uma necessidade de passar uma ideia de solidez ao negócio. É possível criar um folder com capa neste papel e miolo em outro material.

Couché
Este é o papel mais usado. É resistente, liso e com bom acabamento – seja na opção fosco ou brilhante.

Reciclato
Não é papel reciclado! Algumas empresas criaram um papel que imita a aparência do papel reciclado, bem mais em conta, nas cores pardas e em tons de areia. Atente-se que a superfície não é branca e pode mudar as cores que serão utilizadas.

Artesanal
Ideal para projetos especiais que precisem de um acabamento diferenciado, principalmente indicados empresas que queiram passar a ideia de que trabalham com produtos naturais ou artesanais.

Mais do que ficar atento com o papel, a gramatura é fundamental.  Quanto maior for a gramatura, mais resistente será o seu flyer. Este número nada mais é do que a representação de uma medida em gramas por metro quadrado (g/m²) para o papel. Esta gramatura se refere ao peso do papel por sua área, em uma medida parecida com a densidade.

Quanto maior a gramatura, maior será o peso e a grossura do papel – e quanto  menor a gramatura, mais fino será o seu flyer.

Vamos ver mais de perto estas gramaturas:

Entre 90g e 115g
Esta faixa de gramatura é muito usada para imprimir livros, jornais, papéis sulfite, folhas de caderno e outros papéis de uso cotidiano. São também usados para envelopes mais simples e documentos que precisam ser impressos em papel timbrado. Dependendo do seu objetivo, pode ser uma boa opção para um flyer.

115g
Esta é a gramatura mais popular. É a mesma que se usa para fazer um cartaz simples ou qualquer material criado para entregar nas ruas – por isso que a escolha do flyer sempre acaba indo para esta gramatura. O papel  115g é  ideal para criar um panfleto barato e é perfeito para quem quer fazer uma grande quantidade de material para entrega e não quer gastar dinheiro em um papel excessivamente fino e que certamente vai se romper pela pouca resistência.

150g
Ideal para ter um flyer com um pouco mais de qualidade, com uma boa impressão. A gramatura é uma das mais indicadas e se parece muito com o material usado para capas de revistas. Tem boa aderência com a tinta da impressão fazendo com que   imagens e textos não borrem facilmente no papel.

Entre 250 a 300g
Não é indicado, mas tem quem o faça. O flyer nesta gramatura terá a aparência de um cartão de visitas gigante ou de um postal. Não é barato fazer e só vai valer a pena se seu objetivo seja criar um folder altamente resistente.

No caso do papel couchê, que é um dos mais populares, as gramaturas são as seguintes: 80g, 90g, 120g, 150g, 170g Fosco, 250g e 300g.

Qual tiragem (quantidade) devo fazer de um flyer?

Vai depender do seu objetivo e do seu bolso. Não há, na verdade, uma tiragem mínima para flyers, porém o ideal (e habitual no mercado em geral) é mandar rodar mais do que  300 unidades. Isso acontece  em função dos custos de calibragem de impressão, então o ideal é pedir orçamento para 500, 1.000 e 2.000 unidades. Nada impede fazer menos que isso, porém o valor compensa para imprimir em grandes quantidades – tanto para o negócio quanto para a gráfica.

Outro detalhe: na hora de mandar imprimir, é comum alguns erros acontecerem. Por isso, fique atento com os seguintes detalhes;

– Não utilize mais do que três fontes diferentes no mesmo material

– Não use fotos muito pequenas, pois o material já é limitado em seu tamanho e a poluição será inevitável

– Deixe todos os dados de contato com fones bem visíveis

– Não coloque muito texto em grandes blocos ou o seu folder será extremamente cansativo.

–  Invista um pouco mais e imprima seu folder em um papel não muito fino. Os folder precisam ser feitos em papéis mais encorpados.

Peça sempre uma prova de cor ou de impressão. Hoje em dia é comum este teste antes de mandar rodar todos os seus flyers. Fique atento com a diferença de cores, possíveis erros de sangria da página e alterações de nitidez de imagens utilizadas. Somente depois de ver uma prova é que você deve mandar imprimir seu material.

Quais são as coberturas disponíveis para flyers

Dentre as coberturas em flyers, o verniz é um dos mais buscados. Trata-se de uma película,  quase que transparente, que garantir proteção do folder, usado até mesmo para dar brilho no resultado final. É feito de óleo secante, resinas e solvente, mas também há opções que levam poliuretano e outros derivados de petróleo. O verniz pode ser aplicado no flyerinteiro ou em apenas algumas partes para destacar uma parte específica, como uma imagem ou chamada, quando o tratamento é acompanhado de uma laminação fosca.

Já que falamos em laminação, que é outro tipo de acabamento bem comum, ela também serve para destacar o flyer. Ideal para passar uma ideia de material mais profissional, a laminação passa a ideia de nobreza realçando a marca diante. Mais que estética, a função da laminação no flyer também é a de evitar o desgaste e desbotamento causados pelo ambiente e uso constante do material.

Quais são os acabamentos em um flyer?

Dentre os acabamentos nos flyers,as bordas arredondadas são bem comuns e não precisam e não precisa ser feito com as tradicionais facas. Não é uma regra para um flyer bem feito possuir bordas arredondadas em todos os seus cantos, pois é possível arredondar apenas um, dois ou três cantos do folder dependendo do efeito que se deseja dar ao material.

Já o acabamento de furo é muito buscado para flyersque precisam ser pendurados em algum local. O tamanho do furo pode ser a partir de 3mm e servem para fins estéticos, para dar um ar estético diferenciado.

Quantas cores podem ter em um flyer?

O folder pode ser feito com os seguintes padrões

– 4×0: Colorido apenas na frente

– 4×1: Colorido na frente e com uma das cores atrás – que pode ser amarelo, magenta, ciano ou preto

– 4×2:  Colorido na frente e duas cores separadas ou misturadas no verso

– 4×4: Totalmente colorido

Ao solicitar um flyer, é fundamental fornecer estas instruções antes de enviar o arquivo. Use e abuse de cores para potencializar resultados e deixe de lado seu gosto pessoal. Confira como as cores influenciam na hora de compor um flyer:

– Amarelo: É uma cor viva e atraente, mas que em excesso pode cansar a vista de quem está recebendo o flyer- que certamente vai descartar o material. Usado com sabedoria, os tons de amarelo podem ser facilmente combinados com cores escuras menos em textos, principalmente se forem pequenos.  O amarelo é uma cor que está associada com o sol e desperta alegria, combinando muito para um folder que deseje chamar a atenção

–  Vermelho: Outra cor popular e forte, também adequada para chamar a atenção. O vermelho é muito comum para destacar certas  informações importantes e que merecem destaque, provocando em quem está com o folder uma sensação de excitação. É ideal para impressos promocionais e relacionados com comidas e gastronomia em geral.

– Laranja: É uma cor interessante por ser a combinação das duas cores mais atraentes já citadas, amarelo e vermelho. O laranja é associada ao outono, elementos motivacionais e a alimentos saudáveis. É uma cor versátil, mas muito pouco usada pelos designers justamente por ser uma cor de difícil aplicação em um material impresso, esteticamente falando.  Porém, se conseguir usar, o folder ficará genial.

– Verde:  O verde é uma cor que deve ser evitada em qualquer texto por dificultar a leitura, mas tirando isso é uma cor sem igual para folders que queiram passar uma ideia de ecologia e sustentabilidade.  O verde também é aplicado para divulgar a ideia de que o estabelecimento tem um ar mais divertido além de  temas financeiros por remeter ao dólar (flyers de casa de câmbio usam e abusam do verde) e de algo novo.

Fique atento com as combinações das cores agora que você já sabe o significado delas. Saiba combiná-las da melhor forma possível para que seu flyer seja harmonioso, agradável e passe a informação que você deseja.

O que é faca especial para flyer?

As gráficas não possuem formatos diferentes para flyers, por isso é importante pedir a faca especial. Para ter um acabamento com corte especial, como um flyers em formato de coração, por exemplo, é necessário criar uma faca especial no formato desejado. Para evitar que um flyer saia errado, cortando alguma informação importante, o ideal é criar um arquivo com margem de segurança e margem de sangra para a faca. A margem de segurança deverá respeitar uma distância (0,25 cm) para dentro da linha da faca e a margem de sangra (0,15 cm) para fora da linha da faca.

A faca especial é, na verdade, uma lâmina moldada sob medida para atender qualquer projeto gráfico diferenciado. É muito usado para rótulos ou embalagens, mas muitos flyers já se valem deste recurso para se destacar no mercado e chamar a atenção de possíveis novos clientes.

Cabe esclarecer que todos estes tipos de faca especial gráfica precisam ser feitas através de um  maquinário específico e apenas as melhores empresas do ramo prestam esta assessoria. Ou seja, a faca especial é um serviço mais caro e é indicado para flyers especiais, e não para promoções do dia a dia.

Folder: Para que serve e como fazer?

Quem precisa divulgar seu negócio através de um material impresso em que as pessoas recebam a mensagem nas ruas ou apenas deixar em algum ponto de distribuição estratégico para possíveis clientes levarem o material para casa, como em balcões de restaurantes, o folder é a melhor opção dentre todos os materiais impressos para divulgação do mercado.

O folder, que tem seu nome do inglês “to fold” (que significa dobrar) passa qualquer informação rapidamente, de maneira organizada, servindo tanto para falar sobre o seu negócio quanto para mostrar que há uma promoção acontecendo.

O folder é tradicional nas ruas e ainda consegue sobreviver mesmo em tempos de internet pelas sua particularidades, como rapidez de impacto imediato de público, baixo valor de investimento e capacidade de divulgar imediatamente ofertas para quem está passando neste exato momento diante seu estabelecimento.

Lembre-se de que um folder bem feito precisaria ter, além do que que deseja ser divulgado (lançamento, promoção, etc) algumas informações relevantes:

  • Marca
  • Assinatura de Marca
  • Endereço completo
  • Telefones de contato
  • Endereço do site
  • E-mail de contato
  • Whatsapp de contato
  • Mapa esquemático de localização

Qual é o tamanho ideal do folder?

Os folder geralmente são impressos dobrado ao meio ou em até três dobras – vertical ou horizontal – a partir de uma simples folha que se converte em uma brochura de fácil manuseio. Apesar do folder não possuir formatos padrões definidos, este material geralmente segue alguns formatos tradicionais que são aceitos pelo público justamente pelo costume de pegar folders em qualquer lugar.

Normalmente possuem:

  • Capa padrão
  • Apresentação do produto, serviço ou promoção
  • Dados para contatos (endereço, e-mail, etc)

Um folder pode variar muito de tamanho uma vez que ele pode ser criado de diversas formas. Pode ser criado com duas dobras (dobrado no meio) em uma folha A5 (21 cm de largura x 14,8 cm de altura) ou A4 (29,7 cm de largura x 21 cm de altura). Um folder de três dobras, pela sua natureza, é feito em A4.

O mais importante é ser criativo. Use elementos para diversificar a composição, como linhas e formas geométricas apontando uma parte específica no espaço. Para um folder profissional, evite usar qualquer imagem retirada da internet – até para evitar processos de direitos autorais – e utilize logotipos e imagens próprias, mas sempre fique de olho na qualidade. Esolha fotografias profissionais, ilustrações e elementos gráficos próprios e evite que seus textos repitam detalhes que já estão bem evidentes nas imagens.

Lembre-se de usar menos texto e impactar com as palavras, então foque nos conceitos que agregam valor à sua mensagem. Textos longos não serão lidos – e se o forem, a retenção da informação não será eficaz pelo volume de dados.

Crie uma linha lógica no folder de acordo com o tamanho de cada elemento e seus espaços ocupados. Um título ou frase de efeito convida a pessoa para conferir as informações mais descritivas ou levar até o seu estabelecimento.

Inclua um QR CODE para ampliar o seu folder – todo mundo tem Smartphones, portanto podem acessar o seu site somente com a câmera do celular.

Detalhe final: Escolha muito bem o que vai ser incluído na parte traseira do folder. Normalmente é ali que estão os dados de contato, mapas de acesso para o seu endereço, suas redes sociais e por aí vai. Deixe a frente do folder para chamar a atenção e os demais dados no verso.

Quem precisa ter um folder na rua?

Todas as empresas podem utilizar. O folder é, normalmente, suando para promoções relâmpagos, como forma de “lembretes” para restaurantes na hora do almoço, para divulgar em uma região que um novo negócio está aberto e por aí vai.

Para criar o seu folder, primeiro é preciso definir qual é a mensagem que você deseja transmitir. Os restaurantes, que são os tradicionalmente os maiores usuários de folders nas regiões centrais das cidades, tiveram que criar folders para avisar que, pela pandemia, tiveram que baixar suas portas e estão atuando com delivery. O folder passou uma forma prática de avisar os moradores da região e demais transeuntes desta nova modalidade e manter seus negócios em atividade.

Coloque-se no lugar do cliente que vai receber o seu folder. Será que as informações que você deseja transmitir estão coerentes? Lembre-se de que o folder tem pouco espaço para divulgar informações, por isso folders com muitos textos ou sobrecarregados de imagens não funcionam e são descartados na primeira lixeira. .

O folder precisa ser objetivo: foque apenas nas informações que são relevantes ao seu público e escolha um modelo que seja agradável. O impacto visual vai atrair a atenção do seus clientes, por isso o modelo gráfico deve ser personalizado de acordo com a identidade visual da sua marca.

Como entregar o folder?

Os folders podem ser utilizados para divulgar ações específicas, portanto contrate uma equipe de distribuidores para a tarefa e determine qual o tempo da ação. Faça com que quem está entregando os folders saiba exatamente o que está nele e estejam aptos para responder qualquer dúvida (promoções, etc) pois é normal que algumas pessoas perguntem o que está nele.

Uma boa ideia para saber se o folder está surtindo efeito é oferecer descontos ou brindes para quem chegar até o seu estabelecimento. Uma das ideias mais populares é o famoso !apresente este folder e ganhe 10% de desconto” – ,mas lembre-se de especificar que a promoção não é cumulativa e de que tem prazo de validade. Desta maneira, você consegue saber exatamente quantos panfletos distribuídos surtiram efeito e melhorar suas próximas campanhas.

Estabeleça quais ruas serão distribuídos já pensando na proximidade do seu negócio com estas localidades. Caso não queira se incomodar, existem empresas especializadas para este trabalho de distribuição. Vale estudar cada uma delas e ver qual te atende melhor suas expectativas.

Quais são os papéis mais usados em um folder?

O folder geralmente usa quatro papéis e vamos listar quais são eles:

Supremo
Este material é resistente, com gramaturas elevadas, muito usado para folders em que há uma necessidade de passar uma ideia de solidez ao negócio. É possível criar um folder com capa neste papel e miolo em outro material.

Couché
este é o papel mais usado. É resistente, liso e com bom acabamento – seja na opção fosco ou brilhante.

Reciclato
Não é papel reciclado! Algumas empresas criaram um papel que imita a aparência do papel reciclado, bem mais em conta, nas cores pardas e em tons de areia.Atente-se que a superfície não é branca e pode mudar as cores que serão utilizadas.

Artesanal
Ideal para projetos especiais que precisem de um acabamento diferenciado, principalmente indicados empresas que queiram passar a ideia de que trabalham com produtos naturais ou artesanais.

Mais do que ficar atento com o papel, a gramatura é fundamental. Quanto maior for a gramatura, mais resistente será o seu folder. Este número nada mais é do que a representação de uma medida em gramas por metro quadrado (g/m²) para o papel. Esta gramatura se refere ao peso do papel por sua área, em uma medida parecida com a densidade.

Quanto maior a gramatura, maior será o peso e a grossura do papel – e quanto menor a gramatura, mais fino será o seu folder.

Vamos ver mais de perto estas gramaturas:

Entre 90g e 115g
Esta faixa de gramatura é muito usada para imprimir livros, jornais, papéis sulfite, folhas de caderno e outros papéis de uso cotidiano. São também usados para envelopes mais simples e documentos que precisam ser impressos em papel timbrado. Dependendo do seu objetivo, pode ser uma boa opção para um folder.

115g
Esta é a gramatura mais popular. É a mesma que se usa para fazer um cartaz simples ou qualquer material criado para entregar nas ruas – por isso que a escolha do folder sempre acaba indo para esta gramatura. O papel 115g é ideal para criar um panfleto barato e é perfeito para quem quer fazer uma grande quantidade de material para entrega e não quer gastar dinheiro em um papel excessivamente fino e que certamente vai se romper pela pouca resistência.

150g
Ideal para ter um folder com um pouco mais de qualidade, com uma boa impressão. A gramatura é uma das mais indicadas e se parece muito com o material usado para capas de revistas. tem boa aderência com a tinta da impressão fazendo com que imagens e textos não borrem facilmente no papel para panfletos.

Entre 250 a 300g
Não é indicado, mas tem quem o faça. O folder nesta gramatura terá a aparência de um cartão de visitas gigante ou de um postal. Não é barato fazer e só vai valer a pena se seu objetivo seja criar um folder altamente resistente.

No caso do papel couchê, que é um dos mais populares, as gramaturas são as seguintes: 80g, 90g, 120g, 150g, 170g Fosco, 250g e 300g.

Qual tiragem (quantidade) devo fazer de um folder?

Vai depender do seu objetivo e do seu bolso. Não há, na verdade, uma tiragem mínima para folders, porém o ideal (e habitual no mercado em geral) é mandar rodar mais do que 300 unidades. Isso acontece em função dos custos de calibragem de impressão, então o ideal é pedir orçamento para 500, 1.000 e 2.000 unidades. Nada impede fazer menos que isso, porém o valor compensa para imprimir em grandes quantidades – tanto para o negócio quanto para a gráfica.

Outro detalhe: na hora de mandar imprimir, é comum alguns erros acontecerem. Por isso, fique atento com os seguintes detalhes;

  • Não utilize mais do que três fontes diferentes no mesmo material
  • Não use fotos muito pequenas, pois o material já é limitado em seu tamanho e a poluição será inevitável
  • Deixe todos os dados de contato com fones bem visíveis
  • Não coloque muito texto em grandes blocos ou o seu folder será extremamente cansativo.
  • Invista um pouco mais e imprima seu folder em um papel não muito fino. Os folder precisam ser feitos em papéis mais encorpados.

Peça sempre uma prova de cor ou de impressão. Hoje em dia é comum este teste antes de mandar rodar todos os seus folder. Fique atento com a diferença de cores, possíveis erros de sangria da página e alterações de nitidez de imagens utilizadas. Somente depois de ver uma prova é que você deve mandar imprimir os seus folder.

Quais são as coberturas disponíveis para folders

Dentre as coberturas em folders, o verniz é um dos mais buscados. Trata-se de uma película, quase que transparente, que garantir proteção do folder, usado até mesmo para dar brilho no resultado final. É feito de óleo secante, resinas e solvente, mas também há opções que levam poliuretano e outros derivados de petróleo. O verniz pode ser aplicado no folder inteiro ou em apenas algumas partes para destacar uma parte específica, como uma imagem ou chamada, quando o tratamento é acompanhado de uma laminação fosca.

Já que falamos em laminação, que é outro tipo de acabamento bem comum, ela também serve para destacar o folder. Ideal para passar uma ideia de material mais profissional, a laminação passa a ideia de nobreza realçando a marca diante. Mais que estética, a função da laminação no folder também é a de evitar o desgaste e desbotamento causados pelo ambiente e uso constante do folder.

Quais são os acabamentos em um folder?

Dentre os acabamentos nos folders, as bordas arredondadas são bem comuns e não precisam e não precisa ser feito com as tradicionais facas. Não é uma regra para um folder bem feito possuir bordas arredondadas em todos os seus cantos, pois é possível arredondar apenas um, dois ou três cantos do folder dependendo do efeito que se deseja dar ao folder.

Já o acabamento de furo é muito buscado para folders que precisam ser pendurados em algum local. O tamanho do furo pode ser a partir de 3mm e servem para fins estéticos, para dar um ar estético diferenciado.

O vinco é a marcação feita no papel para servirem como linhas-guia para a dobra do papel. Como as fibras do papel são sensíveis, são os vincos que impedem que o folders se estraguem quando são dobrados – e ainda criam efeitos estéticos interessantes.

Quantas cores podem ter em um folder?

O folder pode ser feito com os seguintes padrões

  • 4×0: Colorido apenas na frente
  • 4×1: Colorido na frente e com uma das cores atrás – que pode ser amarelo, magenta, ciano ou preto
  • 4×2: Colorido na frente e duas cores separadas ou misturadas no verso
  • 4×4: Totalmente colorido

Ao solicitar um folder, é fundamental fornecer estas instruções antes de enviar o arquivo. Use e abuse de cores para potencializar resultados e deixe de lado seu gosto pessoal. Confira como as cores influenciam na hora de compor um folder:

– Amarelo: É uma cor viva e atraente, mas que em excesso pode cansar a vista de quem está recebendo o folder – que certamente vai descartar o material. Usado com sabedoria, os tons de amarelo podem ser facilmente combinados com cores escuras menos em textos, principalmente se forem pequenos. O amarelo é uma cor que está associada com o sol e desperta alegria, combinando muito para um folder que deseje chamar a atenção

– Vermelho: Outra cor popular e forte, também adequada para chamar a atenção. O vermelho é muito comum para destacar certas informações importantes e que merecem destaque, provocando em quem está com o folder uma sensação de excitação. É ideal para impressos promocionais e relacionados com comidas e gastronomia em geral.

– Laranja: É uma cor interessante por ser a combinação das duas cores mais atraentes já citadas, amarelo e vermelho. O laranja é associada ao outono, elementos motivacionais e a alimentos saudáveis. É uma cor versátil, mas muito pouco usada p caraelos designers justamente por ser uma cor de difícil aplicação em um material impresso, esteticamente falando. Porém, se conseguir usar, o folder ficará genial.

– Verde: O verde é uma cor que deve ser evitada em qualquer texto por dificultar a leitura, mas tirando isso é uma cor sem igual para folders que queiram passar uma ideia de ecologia e sustentabilidade. O verde também é aplicado para divulgar a ideia de que o estabelecimento tem um ar mais divertido além de temas financeiros por remeter ao dólar (folders de casa de câmbio usam e abusam do verde) e de algo novo.

Fique atento com as combinações das cores agora que você já sabe o significado delas. Saiba combiná-las da melhor forma possível para que seu folder seja harmonioso, agradável e passe a informação que você deseja.

O que é faca especial para folder?

As gráficas não possuem formatos diferentes para folders, por isso é importante pedir a faca especial. Para ter um acabamento com corte especial, como um folder em formato de coração, por exemplo, é necessário criar uma faca especial no formato desejado. Para evitar que um folder saia errado, cortando alguma informação importante, o ideal é criar um arquivo com margem de segurança e margem de sangra para a faca. A margem de segurança deverá respeitar uma distância (0,25 cm) para dentro da linha da faca e a margem de sangra (0,15 cm) para fora da linha da faca.

A faca especial é, na verdade, uma lâmina moldada sob medida para atender qualquer projeto gráfico diferenciado. É muito usado para rótulos ou embalagens, mas muitos folders já se valem deste recurso para se destacar no mercado e chamar a atenção de possíveis novos clientes.

Cabe esclarecer que todos estes tipos de faca especial gráfica precisam ser feitas através de um maquinário específico e apenas as melhores empresas do ramo prestam esta assessoria. Ou seja, a faca especial é um serviço mais caro e é indicado para folders especiais, e não para promoções do dia a dia.

O que Devo Saber Antes de Escolher a Melhor Gráfica para as Minhas Impressões?

Uma das coisas que a maioria das empresas deveria prestar mais atenção, mas acaba relegando em um segundo plano é a escolha da gráfica. Faz toda a diferença essa escolha por diversos motivos que vamos explicar a partir de agora. Nesse artigo você irá aprender detalhes da produção gráfica que vão te ajudar a escolher a melhor gráfica para o seu material.

Aproveite a leitura e se tiver dúvidas, deixe aqui nos comentários que teremos prazer em te ajudar nessa empreitada. E vamos começar com uma das perguntas mais feitas para agências do mundo do todo:

Como escolher uma boa gráfica?

gráfica

Lembra quando antigamente havia o médico de confiança da família? Então, com a gráfica é quase a mesma coisa. Ter uma boa gráfica de confiança faz toda a diferença. A gráfica que você escolher como usa de confiança precisa, claro, prestar serviços de excelência e ter um ótimo atendimento. Ser ágil e estar lá para quando você precisar.

Mas vamos imaginar que você esteja querendo mudar de gráfica ou ainda conhecer novos parceiros, vamos ao check list básico.

Equipamentos

Uma coisa que poucas pessoas dão atenção é a qualidade dos equipamentos da gráfica. Quanto mais moderno, mais ágil e barata será a impressão. Ter um parque gráfica de qualidade te dá liberdade de criação, cortes diferentes, papel diferente, materiais diferentes, enfim…

Aqui vale um adendo, não estamos falando das chamadas gráficas artesanais, esse texto é sobre outra coisa.

Cor Certa na Impressão

Também há um fato que sempre acaba pegando as empresas: quando os equipamentos são muito velhos, é quase impossível atingir a “cor certa” da sua marca. Toda gráfica sobrevive de vários clientes rodando material, então, ela não vai parar para acertar o tom certo do azul, por exemplo, não. Ela irá fazer o mais próximo possível, que dê para calibrar sem perder muito tempo para não atrasar os demais que precisam rodar naquele dia.

Continuando com equipamentos… os mais modernos garantem outro item da nossa lista:

Diversidade de Serviços

Pode parecer que você não vá usar, mas sim, você vai. Isso faz diferença. Escolha uma gráfica que possa te atender quando você quer fazer um adesivo, um caderno, o calendário no final do ano, o cartão de visita, enfim, a lista é gigante e essa parceria precisa atender suas demandas de comunicação em impressão.

Aí você encontra uma gráfica que imprime tudo que você precisa mas os materiais… então, presta atenção na:

Qualidade dos insumos

As gráficas buscam diferentes fornecedores para a compra dos materiais, o tipo de papel é muito importante. Também é importante verificar a procedência desse papel, ainda mais se a sua empresa se preocupa com questões ambientais. Ela é de reflorestamento? Ele é reciclado? Tudo isso pode estar associado a sua marca, então, cuidado.

Para finalizar na hora da escolha da gráfica:

Atendimento

Sim, de nada adianta a gráfica atender a todos os quesitos técnicos e não ter um atendimento a altura, ou rude, ou que demora demais para resolver suas questões e dúvidas, quem dirá passar orçamento.

Um atendimento precisa conhecer todas as nuances do seu cliente, o que ele prefere, como prefere e até mesmo identificar a qualidade da impressão, das cores, etc.

Então, a dica é: antes de fechar contratos maiores, teste esse novo fornecedor com pequenos serviços. Veja se o SLA (tempo de atendimento) dele é compatível com o que o você esperar e só a partir daí feche contrato.

Devo procurar uma gráfica digital ou offset?

Gráfica Offset

Desde que Gutemberg inventou a prensa em 1468, muita coisa mudou, mas, acredite ou não, até os 90 o processo era mais ou menos o mesmo, ainda hoje há gráficas do interior que utilizam o processo.

Basicamente é construído um imenso carimbo que era “prensado” contra o papel fazendo assim acontecer a impressão. Esse processo foi sofrendo pequenas melhorias, como o chamado “fotolito” que era uma espécie de filme gigante que é revelado contra o papel.
Hoje, o tatatatatataraneto da prensa de Gutemberg é o chamado Offset, opção de mais de 80% das gráficas em atividade no Brasil.

Esse sistema de impressão tem várias fases, é complexo, envolve água e até mesmo, gordura.

Primeiro faz-se uma chapa metálica que a gráfica chama de matriz. Ela é gravada a partir de um arquivo digital, o processo que chama CTP veio para aposentar o velho fotolito que falamos acima.

A partir daí o processo tem muitas semelhanças, a chapa é gravada na superfície, a tinta é misturada com água de modo que a tinta só se fixe nas áreas que serão efetivamente impressas. Depois, a chapa é presa em uma espécie de cilindro que roda sobre o papel faz a impressão propriamente dita.

Algo que você já deve ter ouvido falar e não sabia do que se tratava é o CMYK. É assim, cada cor vai ganhar um cilindro. O CMYK é uma abreviação de cores Cyan, Magenta, Yellow e Black.

Cada cilindro passa pelo papel individualmente para formar as cores necessárias.

Daí vem as expressões comuns em gráfica como 4×4 ou 4×0, etc…
Quer dizer que teremos 4 cores, sendo necessário 4 cilindros.
As máquinas mais comuns para a impressão (como de jornais, por exemplo) são as rotativas. O papel dá uma “volta” pelo parque gráfica até que a impressão sai pronta em outra ponta. Há também as gráficas planas, bem mais próximas das de Gutemberg.

Vantagens do offset:

  • Pode imprimir milhares de folhas ou unidades por hora
  • Seu custo pode ser extremamente menor em grandes quantidades

Impressão Digital

A impressão digital é quase como se você mandasse imprimir em uma impressora gigante, não há muitos passos, funciona quase como uma impressão direta no papel. Com esse tipo de impressão se diminui, e muito o custo de mão de obra e calibragem de máquina com cor, etc.

As impressões que antes eram objeto de reclamação por conta da durabilidade e qualidade vem melhorando sensivelmente nos últimos anos e agora até proporcionam processos como encadernações.

Algo muito bacana na impressão digital é a inclusão de “dados variáveis”, como por exemplo, impressão de ingressos.

Então, em resumo, a impressão funciona muito próxima a sua, aí da sua casa, muda a qualidade (e a quantidade de tinta) utilizada.

Vantagens da Impressão Digital:

  • É muito rápido para serviços menores
  • Não tem preparação para nada. Arquivo no computador e pronto.
  • Ideal para pequenas tiragens.

Prazos de Entrega

Esse é um tema bastante variável e varia de negociação para negociação. Há, por exemplo, o prazo de compensação de pagamento, algo que não existe quando você tem uma gráfica fixa. Há o prazo de aprovação da Prova (falamos nisso mais abaixo) que depende mais de você do que da própria gráfica.

Mas, falando em tese, a maioria dos materiais normais é impresso de um dia para outro. Esse prazo aumenta em média:

  • 2 dias se você quiser aprovar a prova
  • 2 dias se você precisar esperar o pagamento aprovar
  • de 1 a 10 dias se você depender de uma transportadora
  • até 3 dias se for corte especial

Aí, quem vai te ajudar é o:

Comercial

Essa unidade de uma gráfica é que vai fazer o meio de campo para agilizar esses processos. O comercial de uma gráfica precisa ser ágil nos orçamentos, nas devolutivas e, em fazer chegar até você a prova do material que será impresso. Um comercial precisa ter uma SLA (prazo) bem definido, sob pena do cliente perder excelentes oportunidades comerciais.

Prova

A “prova” nada mais é do que um exemplo de como o seu material ficará após ser impresso. Ela é feita em impressão digital o que pode ocasionar uma pequena alteração de cor, mas nada significativo.

Para materiais mais caros ou que levarão o nome da sua empresa para os seus clientes é sempre importante pedir a prova. Calendários, agendas, cartazes, livros, etc. A prova é que vai garantir que você terá exatamente o material que queria ter impresso.

Preço e condições de pagamento

Como falamos acima, o preço e o pagamento dos materiais varia bastante de cliente para cliente e de negociação para negociação. Em regra, quanto mais materiais o cliente fizer, mais barato e mais vantagens de negociação terá.

Normalmente, em gráficas online a negociação é pré-paga, ou seja, você primeiro paga e depois de compensado o pagamento é que a gráfica começa o processo de impressão.

Em gráficas com contrato fixo ou ainda que “aprovem” o seu CNPJ o usual são pagamentos pós-pagos, ou seja, você só paga depois de receber o material. Os prazos de pagamento variam muito, mas em regra são de 30 dias no boleto.

Que tipo de materiais se faz em uma gráfica?

Há uma infinidade de itens que uma gráfica pode fazer, mas, os mais comuns são:

Há algumas gráficas especialistas em determinados materiais como impressão de jornais ou caixas de pizza, por exemplo. A dica é procurar aquela que melhor se adeque ao seu custo, prazo de impressão e claro, qualidade.

Se a impressão saiu com erro, de quem é a culpa?

Talvez a resposta mais fácil de todo esse artigo: De quem aprovou.

Quando uma gráfica recebe um arquivo fechado (PDF 1xa) que não pode ser editado, garante a gráfica que os únicos erros que possam ser aferidos a ela é o de papel e cor.

Por isso, a maioria das gráficas faz questão, em impressões grandes ou “diferentes’ de aprovar a prova com o cliente.

Em agências de comunicação é muito comum um envio de “Aceito” para que o cliente confira as informações básicas como telefones, nomes, endereços, etc.

Agora, se não aprovou e mandou direto, a culpa é da agência, que indiretamente aprovou a peça.

Há algumas exceções chamadas de óbvias, por exemplo, você pede para a agência ou para a própria gráfica imprimir um calendário, ele vem com a imagem que você queria, com as cores certinhas mas com as datas erradas, a culpa é de quem errou e não do cliente. Afinal, é sua obrigação conferir esse “detalhe”.

Quem é responsável pela arte final?

Se você tem uma agência de comunicação, esta é a responsável pela finalização do arquivo com as medidas, sangra e tudo que a gráfica indicar como necessário. Se você contratou esses serviços diretamente da gráfica, eles é que fecharam o arquivo, mas, provavelmente, você não terá uma prova e por isso muitos problemas podem acontecer.

Uma questão muito comum é as gráficas pedirem os arquivos abertos para a impressão. Se o cliente aceitar, as agências e as gráficas e também o cliente devem se precaver deixando claro e documentado que a arte final é a X e que, ainda que o arquivo esteja aberto, nada deve ser alterado.

Devo deixar a gráfica fazer meu layout?

Há muitas gráficas que ainda usam esse expediente e tem pessoas para ajudar a montar layouts. O indicado é que você tenha um profissional de sua confiança, ou uma agência, para te indicar qual é o melhor caminho a seguir. Pense que um funcionário da gráfica vai fazer o layout de acordo com aquilo que é melhor para a gráfica e não para você. Então, ainda que o serviço seja oferecido, só é recomendado para trabalhos muito pequenos e que sejam simples como cartões de visita e papel timbrado, por exemplo.

Cartão de Visita: Saber como fazer, como usar, como imprimir. Vai trazer diferença para o sucesso do seu negócio!

A maioria dos empresários, prestadores de serviços, vendedores, etc… já ofereceram e receberam um cartão de visita. Aliás, eles existem desde o século XVII, que eram de jogos, depois de saudação e na sequência passaram a representar status social. Pessoas importantes tem cartão de visitas.

Cartão de Visita

Mas como tirar o melhor proveito desta importante ferramenta?

Preparamos um tutorial completo para que você escolha a melhor impressão dos cartões de visita e a partir disso tenha ainda mais sucesso nos seus negócios, vamos lá?!

Para que serve o cartão de visita?

O Cartão de Visita de uma pessoa e de uma empresa representa a imagem que ela carrega junto aos futuros clientes, prospects, fornecedores e parceiros comerciais. Um cartão de visita bem feito, além do nome, cargo, contato, email, telefone da pessoa, deve também carregar os valores que ela representa.

Um cartão de visita será lembrado junto com a pessoa que o entrega, então ele deve ser tão bom quanto aquilo que ele se propõe vender. Lembre e se pergunte: qual é a imagem que esse cartão de visita deve representar?

Como o prospect ou futuro cliente vai lembrar de você ao pegar o seu cartão de visitas em mãos e posteriormente em seu escritório?

Isso é muito importante, e para isso serve um cartão de visita. Para fazer você ser lembrado.

Agora que você tem essa informação já se perguntou qual imagem o seu cartão deixa de você? A de um profissional desleixado com um cartão impresso de qualquer maneira e em qualquer papel? Ou a imagem de alguém preocupado com os detalhes e que com certeza vai trazer o melhor resultado caso seja contratado?

Isso é muito importante e irá fazer a diferença em curtíssimo prazo.

Quem precisa do cartão de visita?

Se a gente escrever, todo mundo, você vai acreditar? Mas é mais ou menos isso. Todo mundo que depende de vendas de produtos ou serviços para outro alguém, precisa de um cartão de visitas.

O cartão de visitas serve para:

  • Profissional Liberais;
  • Profissionais que prestam algum tipo de serviço;
  • Profissionais que representam produtos ou empresas;
  • Pessoas que desejam passar uma imagem profissional;

profissionais

Para quem deseja ser levado a sério em uma reunião de negócios;
Para quem deseja sair do amadorismo e se tornar um profissional de verdade.

Como se pode ver, sim, o cartão de visita serve, praticamente, para todo mundo. Mas atenção, não é  qualquer cartão de visita. Ser representado por um pedaço de papel carece de cuidado, afinal, quem quer ser representado por um pedaço feio de papel?

Quando entregar o cartão de visita?

Como tudo na vida, a entrega de um cartão de visita carece de bom senso, sob o risco de se tornar piada como o famoso,

– Paraíba, tá aqui o meu cartão!

Não seja o personagem cômico e entenda como entregar os cartões de maneira assertiva fará com que os seus negócios tenham bastante sucesso.

Uma palavra que todo profissional com certeza conhece é “networking”, nestes eventos sociais normalmente acontece a troca de cartões de visita e, é o momento em que se aproveita para conhecer pessoas e elas vão lembrar como de vocês?

Pelo cartão de visita!

Logo depois de se apresentar presencialmente, é um bom momento para a troca de cartões: aperta a mão, troca o cartão.

Em uma reunião de negócios, uma visita para a empresa, etc… chegue, se apresente e entregue o seu cartão. Em uma mesa de reuniões com mais de um participante, é de bom tom, entregar um cartão para cada participante.

Quando você participar de um workshop, palestra, seminário, etc… também é indicado andar com cartão de visitas próximo, mas aqui, a regra é diferente. Não saia distribuindo cartão com todo mundo, somente para aqueles com quem você fizer contato e, para futuras conversas, o cartão realmente cabe.

Escolher o momento certo para a troca de cartões faz toda a diferença. Ansiedade, entregar cartão fora de hora e coisas do tipo acabam por queimar a sua imagem profissional. Fique tranquilo, inclusive, se você não der um cartão para quem é o seu alvo, monitore os próximos encontros e a situação com certeza irá aparecer.

Há um mantra entre vendedores para cartões de visita que diz: nunca os ofereça em um hospital, mas também nunca os negue. Isso quer dizer que você, a despeito de sempre estar com o seu cartão de visita com você, não deve usar circunstâncias íntimas para isso. Churrasco, Hospital, Shopping, aniversário, etc… não são os locais ideais para isso. Deixe que as pessoas insistam para isso, faça um charme. Isso valoriza a sua presença profissional.

Algo que é importante lembrar: você não é panfleteiro, aquele que sai entregando cartão por aí. Não! Você é um profissional e deve se portar como tal. Também é importante ressaltar que um profissional sempre está acompanhado de seu cartão de visitas. A falta dele mostra uma falta de compromisso, organização e profissionalismo da sua parte.

Por fim, tenha cuidado com o seu cartão sempre limpinho, retinho, cheirosinho, nada de jogar ele no bolso e entregar todo amassado. Tenha sempre à mão um porta cartões porque assim você garante a “integridade física” do seu cartão.

Quais são os papéis mais usados?

O tipo de papel usado em um cartão de visita também fala muito sobre ele. Assim como o layout é primordial, o papel traz uma mensagem forte. Por exemplo, uma empresa que se diz preocupada com o meio ambiente e tem isso no seu manifesto deve usar papel reciclado, ainda que não se possa fazer muitas mudanças com isso, a mensagem fica clara para o interlocutor que receber o cartão.

Mas a variação é enorme tipos de papel, corte, gramatura e muito mais, a partir de agora vamos te ajudar a entender cada o “papel” de cada papel na escolha do seu cartão.

Quais são os cartões mais comuns e suas gramaturas?

  • Couché Fosco – Gramaturas 250g e 300g
  • Couché Brilho – Gramaturas 250g e 300g
  • Offset – Gramatura 240g
  • Reciclato – Gramatura 240g
  • Couché 120g
  • Couché 150g
  • Couché 170g
  • Papel Offset 56g
  • Papel Offset 240g
  • Reciclato 90g
  • Reciclato 240g

Estes são os modelos mais impressos no Brasil. Claro, a depender do tipo de papel e da sua gramatura os preços se alteram sensivelmente.

Para os que não tem muita familiaridade, a gramatura do papel é basicamente o “peso” dele, ou seja, quanto mais “gramatura” tiver, mais grosso será o seu cartão, portanto, mais resistente também.

Muitos podem perguntar sobre a impressão caseira em cartões de visita, mas não. Por favor, não. Esse artifício não entrega a menor autoridade para você. Basicamente é papel e tinta jogados fora.

Tá, mas e qual é a gramatura ideal?

Ele não existe, depende de cada ideia, mas o mais normal, impresso, aceito e que normalmente atende a todos os segmentos é a gramatura 200g.

Acabamentos dos cartões de visita

Depois do layout e do papel o acabamento do seu cartão de visita faz toda a diferença, existe uma variedade de opções que afetam a apresentação dele e agora vamos discorrer em cada um deles, mas fica o spoiler desde já: o quanto você quer investir em cada formato é que dirá que tipo de acabamento você vai ter.

Vamos conhecer o que é cada um deles?!

Laminação Brilho ou Verniz

O mais comum entre todos, a laminação é um processo, que como o próprio nome entrega, é uma lâmina de plástico, tipo uma cobertura. Ele deixa seu cartão mais com mais brilho e também mais resistente.

Esteticamente, esse efeito traz certo requinte ao cartão.

Essa laminação também é conhecido por verniz ou “envernizado”. Sabe quando passa o verniz por uma madeira e ele fica brilhoso? Então, o sistema é o mesmo.

Também é possível fazer verniz em determinadas partes do cartão, na logo, principalmente, ou aonde o seu designer achar melhor.

Na hora da impressão é gerado um arquivo separado chamado máscara. Esse arquivo irá conter somente a área que receberá o verniz.

Há algumas pessoas que se incomodam por pequenas marcas de dedo que o verniz apresenta, algo normal no manejo dele, então, se você tiver algum tipo de toque, esse cartão não é para você.

Laminação Fosca

Basicamente o processo é o mesmo da laminação de brilho, uma película plástica aplicada e prensada.

Mas, e aí, e só aí muda, o efeito apresentado não é de brilho, é opaco ou fosco. Porém, essa solução tende a deixar o layout mais refinado, claro, depende de cada layout.

Então, se você acredita que o seu cartão tem um layout bacana e precisa apresentar para um público mais elitizado, esta opção é a sua melhor escolha.

Verniz Brilho

Também, basicamente repetindo o mesmo processo, só de que maneira muito maior, tem o acabamento de verniz brilhante nos impressos. Esse tipo de acabamento é usado, além de cartões de visita em diversos outros materiais impressos como capa dura, capa de revista, etc.

Hot Stamping

O mais querido dos último dois anos e detentor do título de acabamento mais caro, o Hot Stamping é maravilhoso.

Lembra da antiga tipografia, então… é quase isso, mas não tem tinta. Calma, que eu vou explicar esse processo.

Assim: ele é aquecido e pressionado contra uma fita e um metal. O metal esquenta e faz derreter o material sintético, a fita. O hot Stamping forma então um detalhe maravilhoso no seu cartão de visita. Ele tá um destaque tátil em logo ou pequenos textos. Mas atenção: não exagere, tudo que é demais não é bom. não exagere.

Relevo ou Alto Relevo

Procura entregar algo próximo do Hot Stamping mas não tão refinado. Ele também dá um destaque tátil a uma parte do cartão, como a logo. Mas atenção, esse formato só pode ser aplicado em cartões com 180 de gramatura ou mais.

Cortes

A partir de agora vamos entrar em outro campo bastante importante: o corte do cartão. Já imaginou cartão lindo, papel bom, layout maravilhoso e corte torto? Não dá, né? Por isso, não faz sentido. Então, vamos falar sobre isso.

Bordas Arredondadas

Um efeito muito bacana e absolutamente fácil de qualquer gráfica entregar, e nada mais é do que cortar os cantos do cartão para que ele fique com uma aparência diferente, elegante, mas ao mesmo tempo, despojada.

Furo

Pouquíssimo usado em cartões de visita, porém bastante usadas em tags e adivinha o que é: um furo. Nada mais é do que um furo na parte superior esquerda em que você pode passar um laço por exemplo. Indicado principalmente em finais e começo de ano quando sua empresa envia brindes aos clientes e assim pode “anexar” o seu cartão.

Refile

Mais comum de todas as impressões, nada mais é do que corte realizado no papel para deixar no formato do cartão. Apesar de simples, é aqui que os cortes errados acontecem. Então, toda a atenção é pouca.

Faca Especial

Neste formato quem manda é o preço e a criatividade. Porque você pode cortar o cartão (ou qualquer impresso) no formato que quiser. Por exemplo, imagine que você é um oftalmologista e quer um impresso em formato de óculos. Pode? Pode! Mas, como haverá muito desperdício de papel esse custo normalmente costuma ser bem alto.

E com quantas cores devo mandar fazer o cartão?

Quando você for pedir um orçamento, ou receber um orçamento irá receber coisas como:

  • 4×0
  • 4×1
  • 4×4

O que isso quer dizer? É o número de cores que o seu cartão terá, 4 cores na frente e uma no verso e assim, sucessivamente.

Agora…

Quantas cores você mandar imprimir? Essa decisão não é sua, essa decisão é do layout que foi aprovado junto com a sua marca. Pode ser por exemplo, 1×1, 1×0, não há qualquer problema nisso, é tudo questão de design.

Cada marca se porta de uma maneira e, por isso, é preciso um layout profissional é essencial antes de mandar imprimir ou tomar esse tipo de decisão.

Formato de Arquivo

O formato mais comum para entregar um arquivo em uma gráfica é PDF. Alta qualidade, 300 dpis (aqui varia de acordo com os elementos de cada cartão).

Algumas gráficas online exigem que o arquivo seja entregue em PDF X1A.

Um formato bastante comum na maioria das gráficas online, explicando de maneira simples, esse formato deixa seu arquivo mais seguro, ou seja, quem o recebe não consegue fazer alteração de layout, tamanho, etc…

Então, ainda que você opte por uma gráfica mais tradicional, o formato PDF x1a é o mais indicado

Layout do Cartão de Visita

O layout de cartão de visita é a sua vida, por isso, de nada adianta você investir um dinheirão em impressão, papel, acabamento, etc, se o seu layout não for bom.

Alguns pontos comuns que o seu cartão de visita devem ter:

– Nome
– Empresa
– Email
– Telefone
– Marca da empresa

Essa é abordagem mais comum, claro. Existem, abordagens e abordagens.

Há cartões, por exemplo que apenas trazem o nome da empresa e da pessoa.

Mas vamos lá, uma abordagem mais comum do layout de um cartão de visita moderno tem:

Frente:

  • Logo da Empresa
  • Nome e cargo da pessoa
  • Site

Verso:

  • QR Code de contato
  • Nome
  • Email
  • Telefone

Essas informações variam bastante e basicamente que cabe mais ao designer que concebeu o seu cartão do que para você ou a gráfica.

Vertical ou Horizontal ?

Vamos combinar que tanto faz?

Vamos.

Mas…

A maioria dos cartões de visita que você conhece são na vertical ou na horizontal?

Entendi, São na horizontal e por isso você quer fazer diferente, mas, pense no seguinte:

A maioria dos porta cartões são na horizontal ou na vertical?

Pronto, aí está a sua resposta.

A criatividade vai até o limite da sua eficácia.

De repente, vale a pena ser conservador no layout do cartão e pensar em outros tipos de materiais para expressar a sua criatividade.

Qual tiragem devo fazer?

Para quem não está habituado com o termo, isso se refere ao número de unidades de algum impresso. Qual é a quantidade de cada cartão, normalmente, quanto mais cartões, mais barata fica a unidade.

Essa conta deve ser feito baseado em uma série de fatores, por exemplo, o layout do seu cartão é trocado de quanto em quanto tempo? A partir disso, qual é a sua capacidade em “distribuir” esses cartões.

A conta é razoavelmente simples.

– O número de visitas que você é capaz de fazer

– Uma média de quantos cartões você distribui por mês

– O número de vezes que você pretende o layout desse cartão.

Vamos a um exemplo prático:

Você realiza 5 visitas por dia e distribui um média de 3 cartões por visita, ou seja, você usa 15 cartões por dia somente em visitas.

15 X 22 = 330 cartões no mínimo por mês.

Além disso, há encontros casuais, restaurantes, etc…

Em média, sugere-se, nesse caso, você ter disponível 370 cartões po mês.

Se você trocar de layout a cada 12 meses, por exemplo teríamos:

370 X 12 = 4440

Aí está a sua tiragem aproximada.

Espero que essas dicas tenham te ajudado a entender melhor o mundo dos cartões de visitas e tudo que ele oferece 😉

Até o próximo texto.